Teoria Geral do Esquecimento – José Eduardo Agualusa

postado em: Loja, Tofu com pimenta | 0
Compartilhar:
RSS
Follow by Email
Facebook
Facebook
Google+
http://www.kbook.com.br/loja/teoria-geral-do-esquecimento-jose-eduardo-agualusa
Twitter
SHARE

Teoria Geral do Esquecimento fala da história de Ludovica, uma mulher portuguesa, que depois de um estupro que foi chamado de “acidente”, se trancou em casa e nunca mais entrou em contato com ninguém que não fosse um familiar.

Com a morte de seus pais ela fica aos cuidados da irmã que se casa com um engenheiro e todos vão morar em seu país, a Angola.

A mudança acontece às vésperas da independência do país. Eles se mudam para um luxuoso apartamento e lá, contra sua vontade, ficam Ludovica, sua irmã Odete e o seu cunhado Orlando.

Odete e Ludovica estão assustadas com o desenrolar da revolução, mas Orlando insiste em ficar no país. Ele é nacionalista e acredita que a independência da Angola é o melhor para o país.

O prédio onde moram vai aos poucos se esvaziando, todos que ainda podem vão deixando o país. Ludovica e Odete vem os poucos amigos partirem. O peso é maior para Odete, já que Ludo (como todos chamam Ludovica) evita o contato com os outros.

Orlando sempre gostou do seu apartamento e na sua varanda, que ao que tudo indica é imensa, plantou algumas bananas e romãs.

Apesar de suas convicções, um dia ao voltar para casa, comunica à família que todos irão sair de Angola.

Odete e Ludo ficam aliviadas não vendo a hora de abandonar aquele país em ebulição. Antes de partirem, Odete e o marido vão para uma festa de despedida de outros amigos que também vão partir. Ludo fica sozinha em casa, na companhia de um cachorro branco, chamado fantasma, que fora um presente de Orlando.

Sua irmã e o cunhado não voltam da festa. Ludo se apavora e começa a ligar para os amigos. Ninguém sabe do paradeiro dos dois.

A revolução por sua vez toma proporções incontroláveis e a invasão das residências são inevitáveis.

No decorrer da história, dois homens tentam entrar no apartamento de Ludo, com uma arma de Orlando ela ameaça os dois por de trás da porta. Eles não desistem e ela atira. Um deles morre e o outro foge.

Ludo arrasta o morto para dentro do apartamento e o enterra onde seria a piscina. Depois disso resolve pegar o material de construção destinado as obras e constrói uma parede que a isola do resto do prédio. E lá fica por quase trinta anos.

 

Sobrevivendo

Ludo é, nas próprias palavras de Agualusa, uma náufraga que se isola de tudo e de todos, vivendo dos livros de seu cunhado e da companhia do seu cão.

Do alto do prédio ela se mantém isolada enquanto o mundo a sua volta se transforma. Timidamente ela vê esta transformação à distância.

Ludo se alimenta das bananas e romãs plantadas por Orlando. Descobre um saco de diamantes que usa como iscas para pombos. Para passar o tempo ela escreve, primeiro em papéis e quando estes acabam, suas letras encontram nas paredes o descanso para seus pensamentos.

No livro acontecem histórias paralelas, que indiretamente são influenciadas por Ludo, que não percebe a extensão de suas ações. Uma vez, por exemplo, ela captura um pombo-correio com uma mensagem de amor em seus pés. Ela decide deixa-lo, solta o pombo e o manda embora com o diamante que havia engolido. Este ato vai desencadear uma série de sequências imprevisíveis.

E assim se monta este romance, várias histórias vão acontecendo até que todas se reúnem na queda da parede criada por Ludo, anos depois, quando ela é resgatada por um garoto de rua, que perdeu os pais para a revolução.

 

Guerra e Paz.

Uma vez Benjamin Franklin disse: nunca houve uma guerra boa ou uma paz ruim. Mas quando esta paz é alimentada por uma colonização centenária, ela não é uma paz, é uma bomba relógio chamada revolução. E esta bomba explodiu na Angola em 1975. Um país desmontado pela guerra que precisava se recriar.

Agualusa conseguiu através deste romance retratar estas mudanças. Ludo através do seu claustro, foi o centro narrativo do livro, ao redor dela são contadas outras histórias, todas histórias de esquecidos, que se apagam para se reencontrar em novos personagens, se revivendo, como a própria Angola.

Ludo também se esquece. Trancada em si, vai aos poucos consumindo o apartamento. Livros são queimados para aquecer comida, seu cão um dia a deixa. O dia e a noite se misturam num grande contínuo de tempo a esperar, a se esconder. Seu vazio é tão grande quanto a noite africana, quanto o céu africano.

Teoria Geral do Esquecimento é sobre apagar quem somos, para perder as lembranças e do que não sobrar, encontrar um novo caminho.

Definitivamente um dos melhores romances de Agualusa.

Este livro inicialmente tinha o destino de se tornar um roteiro de cinema, um roteiro que não vingou. Mas para nossa sorte virou um romance.

Abaixo o PDF para baixar, boa leitura.

É só clicar, baixar e ler!

Deixe uma resposta